O mínimo para viver: Um filme para refletir e se emocionar

08:49

Dica de filme

Aproveitei o feriadão de carnaval para me desplugar mais das redes sociais, descansar, organizar minha casa e claro, maratonar séries e filmes. Finalmente terminei a primeira temporada de La casa de papel, porém não é sobre isso que vou falar, mas assistam, com certeza é a MELHOR série lançamento do ano até agora.

Dica de filme

Já fazia muito tempo que o Filme O mínimo para viver estava na minha lista e finalmente consegui assistir. A história é basicamente essa: Ellen é uma artista de 20 anos que mora em Los Angeles e tem anorexia. Devido à grande preocupação da família e o suicídio de uma garota que deixou uma carta para ela, decide procurar ajuda e se internar.

Dica de filme
" Eu não consigo parar"

Dica de filme

Logo de cara tive muitas impressões sobre a personagem principal que é a Ellen. A primeira delas é que ela não está se esforçando para melhorar (pelo menos no início), de alguma maneira ela tem uma ferida interna que a impede de acreditar que as coisas podem ser boas. Talvez seja a relação com os pais que é bem complicada (a gente nem vê o pai dela o filme inteiro, está sempre ocupado e etc e a mãe parece não ligar muito), teve algumas cenas que realmente eu pensei: que pais são esses? Porém o filme não deixa claro o motivo de tudo ter começado.

dica de filme

O filme é supersensível, eu chorei bastante em algumas cenas que realmente foram tocantes. Durante a internação da Ellen, ela conhece muitas pessoas na casa que sofrem também com distúrbios alimentares. O que eu mais gostei no tratamento que eles estão recebendo é que eles não eram obrigados a nada, tudo era uma decisão pessoal de melhorar ou piorar e isso era muito legal. O médico deles também era uma pessoa incrível que tentava mostrar a eles a realidade das coisas e como a vida pode ser bonita apesar dos apesares (a cena da chuva <3) e que todos nós temos lutas, só devemos aprender a lidar com elas para vencer.

dica de filme

Vale muito a pena conferir, você se emociona com as histórias (de todos eles), com a luta dessas pessoas, com algo que pra gente é tão simples que é comer, mas que pra muitas pessoas pode ser tortuoso. Há tanta sensibilidade no filme que realmente nos trás a reflexão do quanto à vida é frágil e valiosa, e que há muitas belezas no mundo além das nossas dores e pesares. Nos ensina sobre empatia, compaixão, que todos somos humanos e enfrentamos lutas das mais variadas e acima de tudo, ensina sobre a vida e seu precioso valor. Super recomendo.

Outras belezinhas

2 comentários